A∴R∴L∴S∴ CASTRO ALVES 86 
HISTÓRIA

A Loja foi fundada numa sexta-feira, dia 14 de março de 1.952, através de uma reunião ocorrida com início às vinte horas e trinta minutos, na residência do Irmão Affonso Simão, situada na Rua Humberto I, Nº 398, na Capital deste Estado de São Paulo, com a presença dos Irmãos Mestres Maçons Milled Haum, Celso Camargo Júnior, Heráclides Samuel da Costa, Manoel Peixoto, Elias Antonio Assaf Dada, Heveraldo Gouveia, Alberto Gomes, Evilásio Batista Nogueira e do Aprendiz Maçom Heitor de Mello Rosa. Os trabalhos de fundação da Loja foram conduzidos pelo Irmão Milled Haum e secretariados pelo Irmão Alberto Gomes.

A primeira chapa administrativa contou com os seguintes Irmãos, nos seus respectivos cargos:

Venerável Mestre -
Primeiro Vigilante -
Segundo Vigilante -
Orador -
Secretário -
Tesoureiro -
Chanceler -
Mestre de Cerimônias -
Guarda do Templo -
Primeiro Diácono -
Segundo Diácono -
Milled Haum
Evilázio Baptista Nogueira
Everardo Gouveia
Nelson Camargo Amaral
Alberto Gomes
Affonso Simão
Paulo Pedro Cunha
Celso Camargo Júnior (*)
Heráclides Samuel da Costa
Manoel Peixoto
Elias Antônio Assaf Dada
(*) ainda presente no quadro da Loja

A Loja Maçônica Castro Alves Nº 86 foi regularizada, no dia 07 de fevereiro de 1953, no Templo da Loja Maçônica Perfeita União Nº 64, situada na Rua de Penha, 402, casa 5, em São Paulo, com a solenidade própria para o ato, pela Comissão Regularizadora da Sereníssima Grande Loja Simbólica do Estado de São Paulo, nomeada pelo Ato Nº 83 do Grão Mestre Alcides do Valle e Silva, prestando assim o compromisso de obediência a Grande Loja e às suas Leis.

A Loja Castro Alves, espera receber do seu patrono os eflúvios necessários para tornar-se numa tribuna de luta a continuar na obra do poeta dos escravos, conclamando um direito de vida igual para todos os povos:

"...
E vós arcas do futuro
Crisálidas do porvir
Quando vosso traço ousado
Legislações construir
Levantai um templo novo
Porém não que esmague o povo
Mas que lhe seja o pedestal
Que ao menino dê-se escola
Ao veterano uma esmola
A todos luz e fanal"